Navegando pelo rios invisíveis de São Paulo

Navegando pelo rios invisíveis de São Paulo

Tá vendo essa mancha azul no mapa acima? Isso é São Paulo. Ou, pelo menos, o que existe debaixo da mancha cinza que conhecemos.

Fiquei impressionada quando vi essa imagem pela primeira vez. O mapa simplesmente nos mostra todos os rios da cidade. Acontece que, hoje, a maior parte deles é invisível. São rios que estão vivos, mas enterrados, basicamente cobertos por avenidas construídas na primeira metade do século passado.

Embaixo da 9 de Julho, passa o córrego Saracura. Embaixo da Bandeirantes, temos o córrego da Traição. Sob a 23 de Maio, é o córrego Itororó. E por aí vai. São cerca de 3 mil quilômetros de rios debaixo de nossos pés –  e mal nos damos conta disso.

Imagina qual seria o potencial de São Paulo para o SUP se os rios paulistanos tivessem sido um pouco mais preservados? Aliás, se os poucos que restaram não fossem tão poluídos, já daria para remar bem por aí…

O mapa faz parte do projeto colaborativo Rios (In)visíveis, da minha amiga jornalista Iana Chan com a também jornalista Stephanie Abe e a designer Pamela Bassi. Navegando por ele, você encontra uma série de histórias da época em que os rios ainda de fato existiam. Quem tiver suas próprias histórias, pode entrar lá e compartilhar.

Thaís Viveiro

Thaís Viveiro é jornalista e praticante de stand up paddle. Está sempre atrás de dicas e experiências para evoluir na arte de remar em pé. Costuma remar no litoral norte de São Paulo.

  •  Ver todos os posts